top of page

MUSEU DE BRINQUEDOS

LELUMUSEO

     O Lelumuseo , popularmente conhecido como Museu de Brinquedos de Penedo, é um museu histórico-temático localizado em Penedo, única colônia finlandesa no Brasil, na cidade de Itatiaia, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. O acervo do museu é constituído por cerca de 3.200 peças ligadas ao mundo dos brinquedos, das décadas de 1950 aos anos 2000, incluindo bicicletas, velocípedes e triciclos, dispostas num espaço de 400m².

A título de curiosidade, o museu recebeu esse nome porque LELUMUSEO significa MUSEU DE BRINQUEDOS em finlandês. Foi uma maneira de homenagear a Finlândia, visto que, como dito acima,  Penedo é a única colônia finlandesa no Brasil.

RESUMO HISTÓRICO

     O acervo do museu surgiu quando, em 1994, Celestino da Silva Teixeira, iniciou uma fase importante da sua vida profissional em SP, Capital.

    A partir daí, no exercício dos seus trabalhos, conheceu a GALERIA DOS BRINQUEDOS, uma galeria que liga as ruas 7 de abril e Barão de Itapetininga, República, SP, SP.

    Ali, conheceu pessoas que se dedicavam ao colecionismo, comércio e restauração de brinquedos antigos, quase uma confraria, composta por pessoas laboriosas, honestas, amigas e idealistas, e, assim, impulsionado por um sentimento misto em homenagear, reviver e preservar as boas emoções vividas, e materializadas através desses objetos contemporâneos desde a sua tenra idade, começou a adquiri-los, e daí, sem perceber, foi surgindo esta coleção, que assim começou, e que hoje os também apaixonados, poderão contemplar e fazer o coração acelerar ao rever brinquedos da sua época.

    Além de brinquedos, Celestino passou também a colecionar amigos, tais como: André Latino, Carlos Roberto-olhos de águia, Edilson Ferreira – Trasmontano, Edmar Faria, Eduardo Ballier, Eduardo Barba, Eduardo Cumbica, Fábio Assunção, Henrique Purgailis, Iberê, João Roberto, José Catan, Lavoisier Galdino, Marcelo Patti, Alcides Martini, Marco Monnet, Paulinho Evangélico, Paulinho Thomaz -Moóca, Robertinho, Rui Piriquito, Toninho Barba, Tranquilino e tantos outros.

     Motivado por amigos e familiares, diante desses brinquedos, guardados e protegidos a sete chaves, resolveu expô-los de maneira a que pudessem ser vistos e admirados por todos aqueles que queiram saborear esta coleção.

    E como escreveu Fernando Pessoa: “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.”, assim o Museu nasceu de um sonho, Graças a Deus!

bottom of page